Dr.Romano


Biografia de Dr. Romano (Dr. Adolf Friedrick Fritz)


Nosso Mentor Espiritual




Muito difícil falar de alguém que não gosta de falar de si mesmo...


Érica Kato
Aqui reunimos algumas informações reveladas ao médium Luis Carlos Okabayashi através de inúmeros desdobramentos do seu espírito sob o amparo e orientação do Guia espiritual Adolf Friedrick Fritz, as quais acreditamos não serem suficientes para descrever esse espírito maravilhoso e suas lutas em favor do Cristianismo. Por isso, esperamos que o seu trabalho possa exemplificar a sua personalidade, suas virtudes e seu amor ao próximo. Que a sua missão em nome de Jesus Cristo e de Fabiano de Cristo (seu mentor) possa servir de incentivo para todos nós caminharmos no bem. “Matéria extraída da Revista Enfoque Espírita (NEC-J), Biografia de Dr. Romano - Adolf Friedrick Fritz, 02-02-2007, por Érica Kato”.




1 - SEU LEMA: TRABALHO BEM FEITO É SINAL DE AMOR, COMPREENSÃO E DEDICAÇÃO


No ano de 1853, em Munique, na Alemanha, encarnava uma criança batizada com o nome de Adolf Friedrick Fritz. Foi para a Polônia aos quatro anos de idade, pois seu pai tinha asma e os médicos recomendaram mudar de clima. Era uma família rica em termos de bens materiais, mas pobre de amor. Desde cedo foi privado da presença de sua mãe, que desencarnou, e logo depois de seu pai, ficando sob a tutela de seus avós.

Por causa de alguns desentendimentos entre os avós, Adolf enfrentou dificuldades para estudar, tendo que trabalhar desde cedo. Enquanto juntava ração, feno e alfafa numa fazenda pertencente à faculdade para poder pagar seus estudos, levava consigo os livros que versavam sobre medicina.

Mas para o jovem Adolf, que desde a infância queria ser médico, isso não foi obstáculo. Dedicou-se muito para acompanhar os estudos difíceis na Faculdade de Yverdun, na Suíça.

Aos 28 anos de idade, quando faltava um mês para se formar com especialização em cirurgia, no auge da realização de seus sonhos, foi procurado por um general que trazia nos braços sua filhinha, dizendo que ela precisava de uma operação rápida, senão morreria. Assim foi feito. Mas dias depois a menina começou a arder em febre e, por mais que Adolf envidasse esforços por noites incansáveis de vigília, adormeceu e a menina desencarnou. O general o culpou pelo acontecido e o manteve em prisão subterrânea e, na solitária, açoitou-o e torturou-o por longo tempo.

 Fabiano de Cristo
Fabiano de Cristo - Clique
O jovem Dr. Adolf permaneceu na prisão por alguns anos. Trazia a mágoa no coração que, por vezes, foi amenizada pela luz do espírito de uma criança que o visitava em sua cela. Era a filha desencarnada do general, bem como Fabiano de Cristo, que o assistia confortando seu coração para que não conservasse os sentimentos que o desviaria de sua futura missão redentora.
Um dia, como que por acaso, sua cela amanheceu aberta e ele conseguiu fugir para a Estônia, onde passou cerca de trinta anos aperfeiçoando seus estudos na área de cirurgia com ajuda de um amigo que também se encontrava refugiado, o Dr. Hanz Hanssen, que não concordava com o que acontecia no seu País.

Com 61 anos de idade foi recapturado e mandado para o "front" na 1ª Grande Guerra Mundial, então como médico emergencista da Cruz Vermelha.

Esquecendo-se dos próprios infortúnios, Adolf une-se aos enfermeiros da Cruz Vermelha e recomeça sua luta para ajudar os combatentes feridos.

Os poucos recursos no “front” não o desanimaram. Conseguiu fazer diversas cirurgias em casos de fratura exposta, utilizando parafusos de tanques de guerra e de outros veículos.

Dr. Adolf teria sido um pioneiro na técnica de fixação de ossos por compressão, que só seria utilizada 40 anos depois.

Utilizou também a técnica cirúrgica para o enxerto ósseo e de pele, transplantando os tecidos dos soldados feridos.

Durante o atendimento aos pacientes em um acampamento-hospital improvisado e sob fogo cruzado do inimigo, um soldado tombou sangrando muito. Adolf, compadecido, avança com a Cruz Vermelha no braço procurando socorrer o agonizante. Mas um estilhaço de explosão de granada o atingiu na face esquerda, causando o desencarne daquele eminente médico em 29 de novembro de 1918, com 65 anos de idade.

O exército alemão estava sendo derrotado e as baixas eram muitas.

No plano espiritual, aqueles soldados mortos na guerra não tinham consciência do desencarne devido ao choque e às vibrações carregadas do ambiente.

No mundo espiritual, ainda abatido e fraco, Adolf ouve de um dos superiores da caravana de socorro da LSM (Legião dos Servos de Maria) o seguinte: - "Prepare-se, venha conosco! Nós vamos descer à Terra, pois lá você será mais útil que aqui e a situação exige. É a guerra!"

Nem mesmo havia iniciado o tratamento de recuperação dos ferimentos do corpo físico imprimidos no corpo perispiritual através do desencarne, Adolf já se encontrava no mesmo local, novamente sob o fogo cruzado, socorrendo outros que acabavam de desencarnar. Mas agora em espírito e livre do corpo material prejudicado pelos estilhaços. Ainda sentia dor e cansaço e não tinha compreendido que estava liberto do corpo e desencarnado. Mesmo confuso, prosseguia cumprindo seu dever.

2 - INTERVENÇÃO DE FABIANO DE CRISTO

A incompreensão que trazia diante de tantas atribulações em sua vida, bem como os traumas da guerra, fizera com que Dr. Adolf não enxergasse nada além de dor e sofrimento à sua volta.

Permaneceu durante alguns anos no orbe umbralino da Terra, na parte escura que havia se agravado pelas guerras e discórdias no planeta.

Um espírito amigo com seus trajes de franciscano começou a fazer-lhe visitas constantes, orientando-o sempre a ter esperança e fé em Deus, e em seguida partia. Até que um dia Dr. Adolf inquiriu de quem se tratava, e o enfermeiro franciscano, com doces palavras, respondeu:

“Meu nome é Fabiano de Cristo, seu irmão, reconhecido em Jesus”.

“Eu preciso sair dessa escuridão. Eu quero luz, dê-me luz” – falou Adolf desesperadamente.

E Fabiano, então, respondeu com afabilidade e firmeza:

“Se você quer luz, meu filho, então faça luz”.


Entendendo o significado daquelas palavras, Adolf Fritz foi se preparando a fim de se livrar das trevas que trazia consigo, até que foi conduzido ao Hospital de Maria, no Plano Espiritual.

No hospital, a mágoa que estava no seu coração foi esquecida através da terapia do amor e do trabalho, dando lugar ao sentimento fraternal e ao desejo da prática da caridade bem sentida em favor dos seus irmãos encarnados. Desejava criar no plano físico uma casa de socorro que fosse tão maravilhosa quanto essa em que estava agora, onde todos pudessem se ajudar fraternalmente, refletindo o Trabalho de Amor e dedicação de Maria de Nazaré no grande Hospital da Mãe Maria.

Depois de passar por um longo tratamento e muito trabalho naquela comunidade, onde recebeu, principalmente, através dos exemplos de amor e dedicação, muitos ensinamentos e orientações, Adolf passou a integrar o grupo de trabalho de socorro em favor do próximo.
Adolf Fritz não conseguia esquecer todos aqueles companheiros que atuaram na área médica que, na cegueira do orgulho, se deixaram levar, cometendo erros escabrosos durante a guerra. Rogava a misericórdia do Alto em Favor de todos eles.

Porém, pedia especialmente em favor do amigo que conheceu na Estônia, na Europa. Este o havia ajudado por quase trinta anos enquanto permanecera como refugiado, permitindo que Adolf completasse seus estudos na medicina.

3 - INTERVENÇÃO DE MARIA DE NAZARÉ

Maria de Nazaré
Certo dia, trabalhando com outros irmãos do Hospital de Maria em missão de socorro na região umbralina, foi surpreendido com a chegada de uma jovem irradiante de luz, que disse:
Celina - Clique

 “Sou Celina, mensageira da Mãe Maria, e ela pediu que o levasse até Ela”

Adolf estende-lhe as mãos e ambos entram em um túnel de luz indescritível. Em poucos instantes estão à frente de Mãe Maria.

Adolf Fritz não consegue segurar as lágrimas diante da ternura e luz da grande Mãe. Sente que sua alma está banhada por um amor que lhe faz curvar-se diante dela. Nesse instante, a grande Mãe lhe diz:

 “Levante-se, meu filho!

Tenho ouvido tua nobre rogativa em favor dos teus irmãos na Terra. Igualmente, roguei por ti para que a tua fé não esmoreça. Jesus, nosso Cristo, lhe dará a oportunidade de rever muitos dos irmãos que lhe acompanharam e foram guardados em teu coração.

Há muito que te acompanho os passos. Na benção da misericórdia e Sabedoria Divina, fostes em ti infundido o medicamento para a tua alma, no esquecimento pretérito de muitas das suas vidas. As sucessivas reencarnações, no programa de amor do Pai Maior, abriram-te novos caminhos reparadores.


Centurião - Longinus
Na Roma antiga, como Centurião Romano, tu comandavas um exército com a cegueira de teu orgulho, cometendo muitos erros da vaidade e do egoísmo. Perfuraste o corpo do Cristo ainda na Cruz.

Seu Sangue, ainda impregnado de toda a compaixão que Ele sentia por todos, curou-te as chagas dos olhos que te dificultavam enxergar.

Mas, uma semente do Seu grande Amor foi plantada em teu coração, assim como no coração de toda humanidade, que a seu tempo há de florir como já floresce agora em teu coração: o grande amor que Ele nos deu com a própria vida.

Meu filho, tu voltarás à Terra reunindo os discípulos do Cristo.

Através da tua dedicação e esforços no bem, eles encontrarão conforto, paz e esperança.

Terás um exército ao teu comando, agora em nome do Cristo. Semearás através do teu exemplo de trabalho e amor uns pelos outros, fazendo despertar nos corações humanos o sentimento fraternal que deve unir todos os homens como irmãos.

Cumprirás junto a eles a missão providencial no Santo Mediunato, a fim de repararem seus erros na prática da caridade através da tarefa mediúnica.

Contudo, meu filho, nessa tarefa árdua e cheia de espinhos, te aguarda um trabalho que exigirá muito da tua coragem e fé. Mas, lembra-te que estarei sempre te amparando junto com Nosso Cristo.

Fabiano guiará teus passos nessa tarefa. Poderás reunir aqueles que te compartilharam as existências em erros para auxiliar- lhes na tarefa reparadora. Abrirás caminho para ti e tua legião de novos seareiros do Cristianismo.

O sábio Espírito de Sanat, que em breve você irá conhecer, serve ao Pai Celeste junto ao Cristo desde o começo. Ao seu tempo e no momento oportuno, juntar-se-ão ao seu grupo de trabalho valorosos Espíritos que auxiliaram a marcha dos verdadeiros Cristãos, dando os mais valiosos tributos de fé e amor nos exemplos de humildade e simplicidade...

Então, Adolf diz:

...Senhora, cenas daqueles momentos na Cruz invadem meu coração em grande tortura de minha alma. Agora compreendo a dor que carrego comigo. Ainda não posso reconhecer em mim um servidor do Cristo. Mas minha causa será servir a todo propósito a mim confiado através de Fabiano de Cristo, no qual reconheço como verdadeiro Apóstolo do bem e do Cristo."


4 – AS ORIENTAÇÕES DE DR. BEZERRA DE MENEZES

Dr. Bezerra de Menezes, neste momento, adentra o ambiente e convida Adolf para se preparar para a tarefa de socorro em favor dos espíritos que viveram na alemanha no período da guerra. Muitos ele teria conhecido pessoalmente. O seu amigo Hans Hanssen, no qual tanto Adolf pedia fosse auxiliado, já se encontrava no Hospital de Fabiano e mais tarde lhe seria dada semelhante tarefa para cumprir junto aos irmãos da terra. Porém, um grande número de espíritos alemães deveriam expiar suas faltas reencarnado na Etiópia - Africa.

Um outro amigo que conheceu no "Front", encontrava-se em grande perturbação e sob o assédio de muitos que lhe culpavam pelos erros cometidos na guerra. Deveria ser resgatado e preparado para reencarnar, provido da necessária mediunidade a fim de cumprir o seu mediunato, e juntos iriam difundir e provar para o mundo inteiro, mais uma vez, a pluralidade das existências humanas e o grande trabalho de socorro dirigido pela Mãe de todas as Mães, Maria de Nazaré, e sua Legião de Trabalhadores (LSM – Legião dos Servos de Maria), que em nome do Cristo leva o socorro e a esperança para toda a humanidade.

Esta seria a segunda grande missão de Dr. Bezerra de Menezes delegada pelo Alto por meio de Ismael (o preposto de Jesus para a organização espiritual do Brasil), devendo ele abrir caminho para os novos grupos de espíritos que se preparavam para prestar socorro na Terra das mais variadas formas, reunindo missionários das quatro grandes fraternidades que governam o planeta em suas necessidades: da Fraternidade da Cruz (Jesus Cristo), da Fraternidade do Triângulo, da Fraternidade do Círculo (Buda) e da Fraternidade de Aruanda (Pai Benedito de Aruanda).

Ainda encarnado, Bezerra iniciou a redentora tarefa de unificação do Movimento Espírita no Brasil, que se dividia na época graças a uma forte influência das forças trevosas.

Com amor e trabalho árduo na FEB (Federação Espírita Brasileira), e após o seu desencarne, juntamente com Razin (orientador membro da Fraternidade do Triângulo e seu grupo de trabalho), ajudou na edificação da FEESP (Federação Espírita do Estado de São Paulo).


E ainda orientou Edgard Armond a instituir os cursos de passes, o estudo mediúnico e tratamentos espirituais, já que na Casa Espírita estariam prestando o socorro espiritual e a necessária Evangelização por meio da Doutrina de Luz do Consolador Prometido.

Bezerra de Meneses auxiliou ainda Gabriel Malagrida (Caboclo das Sete Encruzilhadas), missionário da Fraternidade de Aruanda, a organizar o Movimento Umbandista, e foi o coordenador da chamada “Linha Médica”, formada por Espíritos de várias fraternidades.


Desde então, Dr. Adolf procurou grupos de pessoas encarnadas no Brasil, terra amada de Fabiano de Cristo, para o cumprimento de sua tarefa junto ao médium na organização de uma casa espírita, que mais tarde receberia o nome de NEC (Núcleo Espírita Cristão), e na construção de um Hospital Espírita, que viria a ser conhecido como (HEFC), onde o nome de Fabiano de Cristo seria lembrado e homenageado, a fim de que nos exemplos da caridade prestada em favor dos humildes e desvalidos da Terra, o novo grupo de trabalhadores pudesse seguir seus passos.

Encontrou várias pessoas dedicadas ao bem e, com elas, vem desenvolvendo um trabalho com amor, compreensão e dedicação junto aos pacientes de toda ordem.

Orientado pelo Plano Espiritual Maior por meio de Francisco de Assis e Bezerra de Menezes, Fabiano de Cristo designa o Espírito de Antônio Francisco Lisboa (conhecido na história do Brasil como Aleijadinho) para acompanhar e auxiliar o médium José de Freitas (Zé Arigó), durante o período em que Dr. Adolf Fritz estaria tutelando seu trabalho mediúnico, pois este deveria sucedê-lo e dar continuidade nessa mesma missão mais tarde.

Dr. Romano nos informou que Aleijadinho teria reencarnado com o nome de Sérgio Eduardo Miranda e, segundo o pedido que fez a São Francisco de Assis, se pudesse, que fosse na véspera do Natal do ano de 1950.  Acompanhou toda a trajetória de trabalho de Arigó, preparando-se durante quase 30 anos, reencarnado em seguida para cumprir sua missão como médium”.

Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho 1730-1814)

Vários espíritos que foram médicos e enfermeiros na época da guerra, também foram chamados para acompanhar Dr. Adolf Fritz em sua equipe de trabalho, ele ficaria mais conhecido por Dr. Fritz.


5 – Inicia a primeira trajetória de trabalho com o médium JOSÉ PEDRO DE FREITAS (Zé Arigó)

José Pedro de Freitas, Zé Arigó, nasceu em 18 de outubro de 1921 na Fazenda do Faria, localizada a 6 quilômetros de Congonhas (Minas Gerais).

Teve infância semelhante à dos meninos pobres da sua geração, e os poucos recursos da sua família não lhe permitiram estudar além do terceiro ano primário. Quando tinha 14 anos de idade se empregou na Companhia Atum (hoje Mineração Casa de Pedra, da CSN), onde trabalhou durante seis anos.

O apelido foi dado por amigos frequentadores de um bar que Arigó tinha no centro da cidade.

Por volta de 1950, Zé Arigó começou a apresentar reações mediúnicas que o perturbavam de modo peculiar: fortíssimas dores de cabeça, insônias, transes e visões que o levaram perto da loucura.

E havia uma voz que o acompanhava onde quer que fosse. Não compreendendo o que lhe ocorria, visitou diversos médicos e sofreu durante três anos a desarmonia de sua mediunidade.

Um dia, a voz do espírito que o acompanhava o levou ao estado de desdobramento da alma em consciência e ele pôde ver um personagem calvo, vestido de avental branco e supervisionando uma equipe de médicos e enfermeiros em uma sala de cirurgia enorme.

Apesar de o espírito falar uma língua que Arigó não conhecia, ele o compreendia perfeitamente. Dr. Fritz o escolhera para realizar as curas e fez das suas mãos rudes, acostumadas a lidar com grosseiros instrumentos de trabalho, mãos hábeis, capazes de manejar bisturis e agulhas.

A partir daí, Congonhas passou a receber milhares de pessoas e caravanas do Brasil e do exterior em busca de cura, em casos em que a medicina tradicional não podia ajudar.

Arigó enfrentou diversos problemas de ordem religiosa e legal. Numa cidade tradicionalmente católica como Congonhas não foi fácil romper barreiras e trabalhar dentro da linha do Espiritismo. Mesmo assim, ele não criou inimizades com o clero.

Já no plano legal as coisas foram mais complicadas. Foi processado em 1956 pela Associação Médica de Minas Gerais, acusado de curandeirismo.

Foi condenado a 15 meses de prisão e recebeu indulto do presidente Juscelino Kubitscheck.


Em 1962 foi preso novamente, mas durante sete meses, em Conselheiro Lafaiete, acusado de exercício ilegal de medicina.

Continuou sua missão dentro do presídio e voltou a Congonhas ainda mais prestigiado.

Vários médicos renomados do mundo (inclusive da Agência Espacial dos Estados Unidos, a NASA) estiveram em Congonhas estudando o fenômeno e constataram que 95% dos diagnósticos de Zé Arigó eram corretos e seus feitos relativamente explicados através da parapsicologia.

Em 1963, o Dr. Andrija Puharich, médico e cientista da Nasa, esteve em Congonhas e iniciou um trabalho de pesquisa em Zé Arigó, que foi complementado por outros médicos de sua equipe durante os cinco anos posteriores.

Zé Arigó previu a própria morte, que aconteceu em 11 de janeiro de 1971, num acidente automobilístico na BR-040.

No plano espiritual, o nosso Zé Arigó, desprendido da matéria, e depois de algum tempo com Dr. Adolf, passa a compreender melhor a sua missão, pois relembra o período que viveu na Alemanha e como teria cometido vários erros.

Mas o médico caridoso e amigo tinha prometido para si mesmo que ajudaria principalmente a todos os que Deus permitisse reencontrar.

Zé Arigó relembra também sua experiência na medicina e passa a integrar a equipe de socorro.

Dr. Fritz então com uma equipe formada por centenas de trabalhadores começa a se preparar para uma nova fase de sua missão.

Em comunhão e com o amparo de grandes grupos de espíritos abnegados na causa de Jesus, recebe do plano espiritual maior, por intermédio de Fabiano de Cristo, a seguinte mensagem de São Francisco de Assis:

"Meu querido filho e servidor de nossa causa em Jesus.

Utilizando da alavanca do trabalho, abristes caminho em direção à luz.

Honrastes o uniforme médico na prática da caridade e devoção em favor do teu próximo.

A luz que se fez em teu coração liberta-te de todo o passado que te encarcerava entre as grades da mágoa e as algemas da consciência que te aprisionaram durante muito tempo.

Cumpristes bem a tua missão, esquecendo-se de ti mesmo e socorrendo teu próximo nos mais altos tributos de amor, compreensão e dedicação.

Teu nome, FRITZ, será lembrado eternamente ao lado do abnegado apóstolo BEZERRA DE MENEZES.

Agora, muitos irmãos no mesmo ideal de amor, utilizarão teu nome para levar ao mundo a mensagem de nosso Senhor Jesus Cristo.

"AMAI-VOS UNS AOS OUTROS"

Nosso Pai, conhecedor do nobre anseio do teu coração em desejar resgatar teus irmãos,
Deferiu permissão e terás ainda muita ajuda.

Agora vosso grupo de trabalho multiplicar-se-á em milhares de irmãos, que aprenderão novas técnicas de socorro, consolidando com as virtudes do Evangelho, e que reencarnarão nas próximas décadas, levando aos nossos irmãos em transição na Terra as bênçãos do amor maior em forma de socorro.

Deverás apresentar-te agora ao mundo, entre os modestos trabalhadores de todas as comunhões espirituais, prestando o socorro em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo.

"Louvemos as mãos abençoadas de Nosso Senhor Jesus Cristo, que nos alcança a todos”

No livro “Arigó: Vida, Mediunidade e Martírio”, de J. Herculano PIRES, encontraremos mais detalhes da missão de José Pedro de Freitas (Zé Arigó).

Vídeos: AS CURAS DO MÉDIUM ZÉ ARIGO E O DR FRITZ

1 -  AS CURAS DO MÉDIUM ZÉ ARIGO E O DR FRITZ - 1-3

2 -  AS CURAS DO MÉDIUM ZÉ ARIGO E O DR FRITZ - 2-3


3 -  AS CURAS DO MÉDIUM ZÉ ARIGO E O DR FRITZ - 3-3


6 - Dr. Fritz prepara-se para a nova tarefa na qual irá adotar o pseudônimo de Dr. Romano e começará mais uma etapa de sua missão.

Sua equipe de trabalho está perto de 2.500 trabalhadores no plano espiritual, ligada à Casa Transitória (conhecida como Hospital Fabiano de Cristo, que é uma parte do Grande Hospital de Maria, dirigido pela própria Mãe Maria de Nazaré no plano espiritual), com grandes conhecimentos na área médica e no desenvolvimento de práticas mediúnico-terapêuticas, que auxiliarão seus irmãos no meio físico através dos mais diversos tratamentos.

Muitos médicos estão sendo intuídos no meio físico para que sejam observadas as melhores terapias e/ou cirurgias no corpo perispiritual, por meio de passes e da intervenção dos médicos espirituais, compreendendo que não se pode tratar somente o corpo físico.

Uma das técnicas que estão sendo trazidas ao meio físico por médicos já encarnados é a de cirurgias sem sangramento, um processo combinado de hipnose e controle do sangue, que é magnetizado pelo fluído magnético do médium e animado pelo ectoplasma para o controle hemorrágico.


7 – Inicia a segunda trajetória de trabalho com o médium Sérgio Eduardo Miranda.

SÉRGIO EDUARDO MIRANDA nasceu em 24 de dezembro de 1950, filho de Vicente Miranda e Luiza dos Anjos Miranda, na rua Félix Guilhem, na Lapa, cidade de São Paulo, tendo ainda seis irmãos.

Dos dois aos quatro anos de idade foi acometido de paraplegia, a qual regrediu e desapareceu após uma promessa que sua mãe, muita católica na época, fez a São Judas Tadeu.

Sempre foi uma criança dotada de uma inteligência, sensibilidade, carisma e bondade sem igual, chamando a atenção das pessoas desde cedo.

Aos sete anos brincava com espíritos de aparência de criança, bem como parentes já desencarnados. Aos oito e nove anos conversava com os espíritos durante atividades rotineiras como ao lavar pratos.

Por isso foi levado a diversos profissionais da área de saúde mental, sendo tratado com ineficácia. A partir de então procurou não comentar mais o que via.

Pai Benedito de Aruanda
Estudou apenas até a 3ª série do ensino fundamental, encerrando seus estudos aos 12 anos. Então ingressou num seminário de padres seculares, já mostrando sua tendência religiosa. Na época, teve a primeira vidência de seu mentor espiritual, Pai Benedito de Aruanda, mas o associou a São Benedito.

Padre Antônio Vieira
Conversava também com o espírito de Padre Antônio Vieira, que o ajudava muito nas redações que tinha que fazer. Aos 13 anos, transferiu-se para o seminário Salesianos em Campinas, no interior de São Paulo, e lá conversava com o espírito de Frei Sant'Ana Galvão, que o inspirava na vida religiosa e na prática da caridade.

Frei Sant'Ana Galvão
Aos 14 anos transferiu-se para a cidade de Lavrinhas, interior de São Paulo, e neste lugar conversava com o espírito de um dos padres fundadores da instituição que havia desencarnado há 12 anos.

Quando falou para um dos superiores do seminário que havia conversado com a mesma pessoa representada em um quadro existente no local (apontando para a imagem do fundador desencarnado), o superior resolveu afastá-lo. Após alguns exames psicológicos, constatou-se que Sérgio era um sensitivo.

O superior disse que ali não seria o seu caminho.

Então Sérgio procurou alguns terreiros de cultos afro-brasileiros, desenvolvendo sua mediunidade nestes locais.
Irmão Cadêncio

Aos 16 anos aproximou-se de dona Emília Ricci, que passou a educar e orientar sua mediunidade nos moldes espíritas. Aos 18 anos começou a ser intermediário do espírito de Alberto Ricci (Irmão Cadêncio), marido desencarnado de Emília Ricci. Dois anos mais tarde é fundado o grupo de trabalho com o nome de CADSEM "Campanha de Auxílio aos Doentes - Serviço Espiritual e Material"

No ano de 1972, em um dia de trabalho normal do Grupo Espírita "CADSEM", onde trabalhavam nossa irmã Emília Ricci, presidente da Casa, e nosso irmão Sérgio, médium em atividade, ocorre um fenômeno de materialização.

Estando nossos irmãos concentrados, cai sobre a mesa, após vir em forma de luz, uma cruz. Então Sérgio disse a dona Emília:

- É, Dona Emília, mais uma tarefa para a senhora.

E nossa irmã Emília diz ao nosso irmão Sérgio:

- Filho, pegue está cruz, pois esta missão é sua!

Bastante impressionado, nosso irmão pega a cruz e não sente mais nada em seu corpo.

No mesmo instante, o espírito de Dr. Romano incorpora no médium Sérgio, trazendo sua mensagem de trabalho:

- Meus irmãos, venho iniciar uma nova etapa nos trabalhos desta Casa. Organizem uma equipe de trabalho, que darei as diretrizes de como agir. Realizaremos um trabalho de atendimento às pessoas vítimas de doenças físicas e espirituais. Confiem em Jesus, estudem Kardec e sigam esta tarefa!

Graças ao sotaque alemão, o grupo de trabalho CADSEM mal conseguiu entender o que o espírito dizia, mas inicia os atendimentos espirituais com o espírito de Dr. Romano.

Como a Casa ficou pequena demais para dar continuidade aos trabalhos, Dr. Romano orienta que se compre outra para poder dar atendimento a todos que procurassem esse trabalho.

Então Dr. Romano inicia o trabalho com o médium Sérgio Eduardo Miranda quando este tinha 24 anos de idade.


Carlos A. Drago
Dr. Romano indica a Sérgio e seu amigo Carlos Alberto Drago para que fundem o Núcleo Espírita Cristão.

E os atendimentos tiveram início em 1º de abril de 1974 em um dos compartimentos da casa de Sérgio. Pouco tempo depois foi comprada uma casa na Rua Francisco Alves, onde os atendimentos se avolumaram.

E desde então Sérgio procura seguir as orientações da Codificação Espírita e da espiritualidade na prática da caridade, que é o principal ensinamento moral do Espiritismo.

Por intermédio do médium Sérgio Eduardo Miranda, Dr. Romano atendeu cerca de 90 mil pacientes até o ano de 2003. E na espiritualidade assume uma ala do grande complexo espiritual "Casa transitória Fabiano de Cristo".

Dr. Romano incentiva o grupo a começar a construção de um hospital. Este hospital teria o objetivo de atender a população carente, uma vez que todo o trabalho ali seria voluntário.

Hosp. Fabiano de Cristo
Em 1978, essa ideia é repassada pelo médium Sérgio Eduardo Miranda, amadurecida, e a partir de 1992 é constituído juridicamente o HOSPITAL ESPÍRITA FABIANO DE CRISTO, com a finalidade de ser um hospital de retaguarda.

Dr. Romano, nesses anos de trabalho em favor do próximo, compreende que no espaço existem as comunidades fraternais, que formam grupos de socorro das mais variadas formas.  Essas comunidades estão ligadas fortemente, desenvolvendo um trabalho em conjunto e em favor das criaturas na Terra, que ainda, infelizmente, estão divididas em termos de religião.

Muitas são as colônias de trabalho, dividindo-se em sete dimensões para cima e sete dimensões para baixo a partir da zona de onde os encarnados vivem.

A obsessão, como a maior chaga da humanidade nas zonas escuras do planeta, exigiu a formação de verdadeiros centros de reabilitação da criatura em ambiente trevoso contando com trabalhadores qualificados.

Entre os vários grupos de socorro nos quais Dr. Romano se ligou através de Fabiano de Cristo destaca-se um coração no qual teria com ele aprendido muito.

Sanat Kumara (Pai Benedito de Aruanda), diretor espiritual da Fraternidade ARUANDA. (Dr. Romano nos informou que Pai Benedito de Aruanda tutelou o nosso irmão Sérgio Eduardo Miranda como seu Mentor Espiritual, pois que na vida anterior como Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho), sua mãe Isabel foi escrava e uma das filhas de Pai Benedito.

 Obs: A Foto ao lado esquerdo, é uma pintura mediúca que retrata Pai João de Aruanda, mas utilizamos para descrever a imagem de Pai Benedito de Aruanda por ser a mais próxima em semelhança.

Assim, vários trabalhadores que militam na causa de Jesus Cristo, dentro dos trabalhos de UMBANDA, passaram a fortalecer o grupo de socorro, atuando nas regiões trevosas, auxiliando no socorro de criaturas prejudicadas pela magia negra e processos obsessivos.

Dois outros espíritos dessa comunidade se destacam pela simplicidade, humildade e grande amor pelas criaturas:
Pai Jakob
Caboclo Pena Branca

Pai Jakob (Jacó) e o Caboclo Pena Branca.

Esses trabalhadores, assim como muitos outros, permanecem no anonimato, prestando o socorro que se faz necessário por amor aos seus irmãos. Muitas mensagens de Pai Benedito de Aruanda foram recebidas através de psicografia e psicofônia, em português polido, utilizando o pseudônimo de "Espírito Amigo".

Dessa forma, não provocariam discussões desnecessárias nas questões religiosas entre os adeptos do Espiritismo e do Umbandismo, entre os quais não havia ainda o necessário amadurecimento para compreender os propósitos do Plano Maior.


8 - Os Esforços de Francisco de Assis no plano espiritual

A Legião da Boa Vontade é a nossa caravana de agora. Não nos iludamos: Jesus segue na vanguarda do nosso movimento! (...) E, mesmo atados à cruz do sacrifício, e sob os grilhões da nossa falta de iluminação espiritual, atendamos ao chamado do Cristo, não nos compreendendo por heróis ou por santos, mas como simples trabalhadores dedicados da imensa e santificante Legião da Boa Vontade evangélica”.

Espírito André Luiz, por psicografia de Chico Xavier, mencionada no livro “Jesus, o Profeta Divino”, Por Paiva Netto


Cena do Filme Irmão sol e irmã lua
Dr. Romano nos esclarece que temos uma compreensão muito distorcida da mensagem que Francisco de Assis recebeu diante do Crucifixo de Damião.

 “Francisco, vai e repara minha casa que está em ruína”.

O Espírito de Francisco de Assis teria compreendido que a seiva evangélica nas religiões existentes não estava fortalecendo a árvore que representa toda a esperança para a humanidade.
Assim como no Evangelho de Judas (Judas 1:12) está escrito: 

Essas pessoas participam de vossas reuniões e celebrações fraternais, banqueteando-se convosco, sem o menor pudor. Agem como pastores que a si mesmos se apascentam; vagam como nuvens sem água, impelidas pelos ventos. São como árvores sem folhas nem fruto, duas vezes mortas, arrancadas pela raiz. ” 

Compreendendo que em todas as religiões no mundo estariam os “falsos profetas” enganando a muitos, Francisco de Assis iniciou sua tarefa reparadora em vida física e continua nessa árdua tarefa até os dias de hoje, trabalhando no mundo espiritual, onde encontraremos frutos desses esforços em várias consciências que despertam a “Verdadeira Prática da Caridade” como único caminho para a paz que se deseje em nossos corações.


Citamos a LBV como exemplo, por ela corresponder a esses apelos de Francisco de Assis, com o intuito de melhor compreendermos o grande trabalho da espiritualidade, que vem nos concientizando da necessidade de maior união dos esforços de todo grupo religioso, para o bem comum.



Foto - Arquivo LBV
Em 7 de janeiro de 1950, Alziro Zarur comanda a primeira reunião ecumênica da Legião da Boa Vontade (LBV), a Cruzada de Religiões Irmanadas, pela qual pioneiramente preconizava o inter-relacionamento religioso. Ela foi realizada no Salão do Conselho da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio de Janeiro (RJ), na qual Leopoldo Machado foi um dos oradores. Na foto superior, ao lado direito de Zarur, que aparece em pé, estão Teles da Cruz (do Catolicismo), à esquerda, Murilo Botelho (do Esoterismo) e Ascânio Farias (do Positivismo).






9 - UMA NOVA MISSÃO – JAPÃO




No ano de 1990, faltando precisamente uma década para a despedida do querido benfeitor Adolfo Bezerra de Menezes, que deveria, no ano de 2.000, avançar para novas tarefas fora do orbe da Terra, Dr. Romano é convidado a participar de importante assembleia organizada por Jesus Cristo, que desce mais uma vez à Terra, convidando todos os representantes das Quatro Fraternidades em torno do planeta, assim como os representantes da Grande Fraternidade Branca, que governa toda a Via Láctea. Para dar início ao encontro, relembra o pouco tempo que tem para organizar os novos trabalhos ainda nessa década.

Ao adentrar o local de reunião na Colônia de Eurípedes Barsanulfo (geograficamente ela colônia fica sobre a cidade de Sacramento, em Minas Gerais), Dr. Romano percebe que ali serão definidas importantes diretrizes para o globo terrestre, pois representantes de todas as nações encontravam-se aguardando orientações.

Então adentra o ambiente, envolvendo a todos em grande paz, o Mensageiro Divino Ismael, pronunciando o seguinte:

“Irmãos, há muito tempo que estamos nos preparando para este momento, onde as palavras proféticas ‛E será pregado este Evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações’ serão cumpridas.
A Pátria do Evangelho, semeada com a proteção e o amor do Pai Celestial para que se cumpram nessas terras seus santos desígnios, está pronta!
É chegado o momento de cumprir sua gloriosa missão espiritual.
Os espíritos aqui evangelizados devem agora sair para semear em outras terras.
Muitos missionários avançam com suas abnegadas falanges, levando a Doutrina Consoladora de tolerância e amor de norte a sul, de leste a oeste.
Enfrentam as forças dissolventes e toda astúcia das trevas invisíveis nos quatro cantos do mundo que, alimentando o orgulho e a vaidade humana, têm feito tombar muitos dos trabalhadores enfraquecidos pelo individualismo e a discórdia.
Nos reorganizaremos aproveitando toda a disposição mesmo enfraquecida da fé, reanimando e ajudando os trabalhadores da última hora a se erguerem, amparando e guiando seus corações fraternalmente.
Nas instituições de toda comunhão espiritual que buscam as verdades do Cristo, elevaremos às suas consciências a moral necessária e ao sentimento fraternal, que deve uni-los no propósito de se reconhecerem irmãos uns dos outros.
Não pouparemos esforços para que se cumpram as tarefas a nós confiadas pelo Nosso Cristo.
Jesus, que é a personificação do mais puro amor que chegou a nós, nos convida a trabalhar ao seu lado...”

A dissertação continua segundo Dr. Romano através de vários vultos da Doutrina Consoladora, que tomam a palavra expondo as várias dificuldades e experiências obtidas no Brasil.

Em seguida, representantes de todas as nações expõem as dificuldades na evangelização de suas comunidades.

Veneranda entidade representando o Japão, chama atenção de Dr. Romano pelo olhar carinhoso e expressivo que lhe fita diretamente os olhos.


Confúcio
Trata-se de Shinryoo Kyuutetsu (que foi Confúcio em outra vida), diretor da Fraternidade do Círculo.

Proferiu em estes termos sua dissertação:

“Irmãos, como todos sabemos nossa comunidade enfrenta o problema do individualismo, o esfriamento do coração e o apego às coisas materiais.
Movimentam-se no Alto providências para que na terra do sol nascente os corações possam ser despertados para a fraternidade, a compaixão e o amor ao próximo.
Temos recebido da terra do cruzeiro, pela benção da misericórdia e sabedoria divinas, os irmãos comprometidos com o passado. E agora na missão reparadora, terão nova oportunidade de trabalho em favor do próximo, formando agora o novo grupo de semeadores da boa nova cristã.
Entretanto, as forças contrárias e trevosas semeiam a discórdia e a desunião, formando frentes antagônicas em densas camadas escuras.
Necessitamos fortalecê-los em Templos onde possam abrigar-se, e na força da união prosseguir em suas missões.


Pe José de Anchieta
O abnegado trabalhador do Cristo, José de Anchieta (Fabiano de Cristo) tão valorosa ajuda nos tem prestado na organização dos novos grupos de trabalho.
Trabalhemos unindo os nossos esforços para a grande e esperada reforma evangélica do planeta...”

Outros dirigentes espirituais dissertaram expondo a situação em cada parte do globo terrestre.

Dr. Romano, sem que ninguém explicasse, mas absorvendo do próprio ambiente as vibrações de todos os presentes, indaga a Bezerra de Menezes:

“Estou pronto e agradecido por ter sido lembrado em tão nobre causa, mas como poderei ajudar meus irmãos no Japão?” – ao que Bezerra de Menezes responde: “Como você percebeu, já contávamos com sua ajuda!”

A Providência Divina, na sua misericórdia, resgatou um irmão que em várias reencarnações, dominado pelo orgulho e influenciando seus irmãos, juntamente com outros espíritos que lhe acompanhavam os ideais egoísticos, retardaram o progresso na luz do Evangelho, seus irmãos do Japão.

Impediram a missão de nossos irmãos Jesuítas, cometendo vários crimes nos quais a lei cármica lhes cobra o reajuste.


Ieyasu Tokugawa

Nosso irmão, Ieyasu Tokugawa, após seu desencarne em 1616, passou alguns anos nas regiões umbralinas onde muitos espíritos que lhe dominavam a mente na vida corpórea aproveitaram-se de sua situação cármica, fazendo-o passar por muitos sofrimentos durante várias décadas, próximo de muitos daqueles a quem prejudicou.




Resgatado pelo nosso Fabiano de Cristo, integrou a Escola Regeneradora de Francisco de Assis na Casa Transitória.

Tendo seu espírito acalmado, quis reencarnar para resgatar seu débito para com seus irmãos.


Reencarnou na China e posteriormente retornou para o Japão. Viveu no arquipélago de Okinawa e teve como professor o nosso estimado irmão Nakamura, onde desempenhou por alguns anos a prática oriental de medicina e desencarnou no bombardeio americano de 1945 juntamente com 30 irmãos que lhe foram próximos no período Edo – Tokugawa no Japão.

Assim como ele, cerca de 200.000 irmãos que compactuaram com ele na perseguição aos Cristãos em lamentáveis erros de crueldade e orgulho, desencarnando em trágicas e dolorosas situações nos bombardeios de Hiroshima e Nagasaki.


O nosso irmão, no amparo fraternal de Fabiano de Cristo, retorna à sua casa de amor (Casa Transitória, conhecida no plano espiritual como Hospital Fabiano de Cristo), sendo auxiliado pelo irmão Nakamura, aprendendo agora técnicas de socorro no plano espiritual, sendo preparado para as novas reencarnações, onde seria preparado para poder retornar ao Japão, juntamente com todos os espíritos comprometidos na mesma lei cármica.


Convento Sto Antônio - RJ

Dr. Romano nos revelou que a Casa Transitória de Fabiano de Cristo no plano espiritual, é uma réplica do Convento de Santo Antônio - RJ. Inclusive a Capela onde ele costuma orar quando em na terra.


Abrirá os caminhos que outrora fechou para o Cristo, em missão redentora nos tributos de amor e renúncias em nome do Consolador Prometido, erguendo a bandeira da Caridade e aquecendo os corações através da fé, na terra do sol nascente.

Sua equipe de trabalho juntar-se-á com outros grupos de trabalho na orientação de nosso venerável Shinryoo, reunindo assim para essa missão valorosos Espíritos colaboradores.

Contudo reabrir o caminho Cristão, e trabalhar nas densas camadas espirituais que se formaram em torno do Japão, será uma tarefa difícil. A luz das verdades do Cristo, através da doutrina dos espíritos, deverá formar o trabalhador para essa causa, buscando a todos que principalmente estiverem comprometidos com essa tarefa.

Contaremos com milhares de voluntários que multiplicar-se-ão dia após dia, assim a Pátria do Evangelho no cenário espiritual juntamente com o trabalhador na terra cumprirá sua missão, levando o progresso moral a todas os povos.

Paulo Miki (パウロ三木)
Dr. Romano nos diz que vários outros espíritos, entre os discípulos de Dr. Nakamura e outros ligados a vida de Tokugawa, reencarnaram e foram chamados ao trabalho na antiga casa NEC-J, hoje chamada de TEC-J (Templo Espírita Cristão do Japão), de forma direta ou indireta, cumprindo suas missões de resgate no Japão. Nos explica também que Dr. Nakamura foi Paulo Miki (パウロ三木), um dos Mártires Cristão no Japão, crucificado na cidade de Nagasaki em 1597.



Sua equipe de trabalho, reúne espíritos que foram igualmente martirizados naquela mesma época e muitos outros abnegados trabalhadores do Cristo que permanecem em sua luta em favor do bem.

A vinda dos muitos brasileiros ao Japão, decasseguis (出稼ぎ).

Formam um segundo grupo de aproximadamente 300.000 espíritos que estão resgatando suas dívidas para com o povo da Terra do Sol Nascente, dos erros diversos cometidos na perseguição aos Jesuítas na época de Francisco Xavier".


As fraternidades do espaço que se uniram para cumprir os desígnios do Pai Celestial, vem dando ao longo de quase três décadas, a oportunidade para todos abraçarem essa obra. Porém o orgulho e as vaidades enraizados ainda no coração de muitos, que em criando discórdias e desunião, acabaram presos nas malhas melindrosas das trevas.  Dessa forma muitos irmãos estão perdendo essa valiosa oportunidade.

10 - Inicia então sua trajetória de trabalho com o Médium Luis Carlos Okabayashi, no Japão


Manifestação Dr. Romano
Em meados de setembro do ano de 1991, o Sr. Luis Carlos Okabayashi, residente no Japão como dekassegui (estrangeiro trabalhador no Japão), trabalhava na empresa INABA, em Kani-shi (cidade de Kani), Gifu-ken (província de Gifu).

Trabalhando em uma máquina de corte de chapas metálicas (prensa) com protetores para atenuar os ruídos do ambiente (mimisen), e por isso em meio ao trabalho, estranhou ouvir uma voz com sotaque alemão, que dizia que todos os dias naquele mesmo horário estaria voltando para orientar a respeito da tarefa que estariam abraçando juntos no Japão.

O fato causou muita estranheza, pois o mesmo não se considerava médium em condição de receber aquela comunicação do espírito que se identificou como Dr. Romano.

Esse diálogo com o espírito como ele mesmo havia dito, prosseguiu por mais dois dias consecutivos.


Cena filme - "Silêncio"

O espírito explicava que o médium teria vivido no arquipélago japonês no período Edo ((江戸時代, Edo-jidai), onde por orgulho e vaidade teria perseguido os Jesuítas da época, privando os corações simples daquela comunidade ao conforto trazido pelo Evangelho de Jesus Cristo.




Devendo assumir agora, a missão reparadora na oportunidade que Deus estaria dando aos milhares de espíritos, que foram resgatados nas escolas redentoras do Cristo no plano espiritual, reencarnando posteriormente na Pátria do Evangelho, onde tiveram seus corações confortados e preparados para retornarem agora ao Japão como dekasseguis e auxiliarem seus irmãos no arquipélago japonês através da divulgação da Boa Nova do Cristo e na prática da caridade.

Acreditando estar mentalmente abalado e demasiadamente cansado, pois cumpria aproximadamente 14 horas diárias em regime bastante rígido de trabalho naquela fábrica. O médium resolveu considerar o fato como produto da sua imaginação, atribuindo todo o acontecimento à fadiga mental e física em que se encontrava.

Contudo, as noites passaram a ser agitadas com sonhos que remontavam os cenários dos anos de 1600, com intrigas e guerras no arquipélago japonês.

Outro fato curioso é que muitas pessoas passaram a procurá-lo para comentar problemas pessoais de questões espirituais, o que antes não ocorria com a mesma frequência.

Sentia-se intuído, muitas vezes, a confortá-las, mas certo de que alguém estava lhe inspirando e orientando espiritualmente.

Eram vários espíritos que não se apresentavam por nomes, mas causavam, pela aproximação, muita paz e confiança.

Nessa época, além dos conflitos íntimos e dos sonhos que continuavam, as dificuldades com o trabalho naquela empresa, fizeram com que mudasse de serviço, e consequentemente de cidade.

Mudou-se para a cidade de Kasugai-shi, na província de Aichi-ken e começou a trabalhar na empresa "Daie Kogyo Kabushiki Gaisha”, na cidade de Seto-shi, situada na mesma província.

Os sonhos ou pesadelos continuavam, até que numa noite lhe visita um espírito que se apresentava com uniforme médico e dizia ser: "Adolf Friedrich Fritz".

O espírito explicava que utilizaria o pseudônimo de "Dr.Romano” para que sua nova missão, aqui no Japão, não fosse confundida ou associada com a que teve com o médium José Pedro de Freitas (Zé Arigó).

Instruía, nas primeiras orientações, que o médium enfrentaria muitos problemas e seria provado em muitos momentos na sua fé e confiança em Deus, devendo confiar sempre nos propósitos do Alto.

Passaria a ser levado em desdobramento, ao astral onde conheceria toda egrégora espiritual envolvida na tarefa na qual estava sendo chamado a participar na LSM – Legião dos Servos de Maria.

Muitos amigos espirituais, igualmente unidos nesta tarefa, estariam próximos para auxiliá-lo, por isso deveria o médium recomeçar o estudo da Doutrina Espírita e desenvolver o estudo do "Evangelho Segundo o Espiritismo" com o público que pudesse reunir.

Grupo de Estudos Dr. Romano
A partir dessa orientação, foi criado o "Grupo de Estudos Espíritas Dr. Romano", em homenagem ao mentor espiritual que orientava, então o médium.

Numa destas reuniões que eram realizadas à noite, em sua residência, surge um casal que trabalhava na mesma fábrica pedindo ajuda ao médico espiritual.

O marido sr. Iwal explica que estavam de retorno do
Sr. Iwal - esquerda
hospital, pois a sua esposa tinha passado muito mal durante o dia e por isso resolveram ir ao médico.


Mas estavam retornando em desespero, pois o diagnóstico foi de uma complicação cardíaca grave e seria necessário fazer uma cirurgia de emergência.

Naquele momento, sua esposa não aceitou ficar internada no hospital da cidade de Kasugai, dizendo que iria pedir ajuda a Dr. Romano, recusou-se a internação.

Ao ouvir a história do casal, o médium disse que iria pedir ajuda a Dr. Romano, mas deveriam voltar ao hospital, pois a senhora Rose apresentava visível dificuldade respiratória e dores no peito.

Nesse momento, o médium foi tomado por uma força que não pôde controlar e falando meio enrolado com sotaque alemão, pediu para as pessoas presentes, que trouxessem um lençol branco e um copo de água.

A senhora Rose deitou-se e logo em seguida adormeceu como quem é anestesiado, nesse momento, o médium começa a aplicar passes muito rápidos e faz movimentos com as mãos direcionados ao órgão cardíaco daquela senhora.

Poucos minutos depois, o espírito se despede do grupo dizendo que no dia seguinte ela já poderia trabalhar tranquilamente.

E foi realmente o que aconteceu.

Sua saúde foi restabelecida de forma a causar o espanto de todos.



Animados pelo incentivo de Dr. Romano o pequeno grupo de adeptos da Doutrina Espírita que até então reuniam-se no seguinte endereço: Aichi-ken, Kasugai-shi, Chuodai 2-2-2, 226, 1101, passaram a reorganizar-se no sentido de adquirir livros para estudos e começar o Estudo sistemático da Doutrina e o Curso Mediúnico, mantendo as palestras e o estudo do "Evangelho Segundo o Espiritismo" em reuniões públicas.


11 -  A Casa Espírita no Japão




No dia 15 de novembro de 1993, Dr. Romano psicografa a seguinte mensagem:





"Queridos irmãos.

A misericórdia Divina nos une em propósito de trabalho de uns para com os outros.
Nesse propósito, vos convido a formar um grupo de trabalho que será “Nossa Casa Espírita".

Trabalharemos com humildade e simplicidade!


Uniremos os esforços das fraternidades do espaço, bem como de todos quantos possam auxiliar nessa tarefa; encarnados e desencarnados.


Nosso lema será: "Trabalho bem feito é sinal de amor, compreensão e dedicação".
As vossas reuniões até o presente momento, tem sido direcionada, segundo minhas orientações, ao Estudo Doutrinário do Espiritismo.

Nesse meio tempo, vos tenho preparado para assumirem na Terra do Sol Nascente, uma nova missão! "A Casa Espírita."


A Casa Espírita não será apenas um espaço físico destinado tão somente as reuniões de estudo.


Há de constituir-se um posto de socorro e de trabalho junto a espiritualidade, um Templo Cristão para o aprendizado, a prática da caridade material e espiritual, utilizando-se de todos os meios possíveis.


Nesta oficina de labor em favor do próximo, estudaremos Kardec, Chico e Jesus.
(Mensagem de Dr. Romano, recebida pelo médium Luis Carlos Okabayashi em 15 de novembro de 1993)."

Dr. Romano em cumprimento a sua missão, vem incentivando e ajudando vários outros grupos de trabalho espiritual no Japão, independente da convicção religiosa que possuam. A permanecerem firmes em sua tarefa com o Cristo.

Citamos algumas das respectivas Casas Espíritas:

Grupos de Estudos Espíritas Ikiruyorokobi – dirigente: Alzira Akemi - Nagoya-shi
Grupo de Estudos Espíritas Amigos da Luz – dirigente: Alice Destefanis - Suzuka-shi
Grupo de Estudos Espíritas Fabiano de Cristo – dirigente: Paulo Oda - Toyota-shi
Grupo de Estudos Espíritas Bezerra de Menezes – dirigente: Patrícia Nakajima - Kuwana-shi
Núcleo Umbandista Cristão do Japão – dirigente: Luis Carlos Okabayashi - Toki-shi
CEU - Centro Espírita Umbandista – dirigente: Cristiane (atual dirigente: Priscilla Shimabuku) - Kariya-shi (hoje o trabalho do grupo está unido aos trabalhos do TEC-J – Toki-shi)

12 - (27/03/2016) Assembleia geral na proposta de união das casas NEC-J, NUC-J, C.E.U Vó Dita - Para formarem o grupo único TEC-J (Templo Espírita Cristão do Japão -  クリスチヤン・スピリテイズム・テンプル)


A orientação na necessidade do espírito de união de esforços desses grupos, de empatia de todos na causa do Cristo em nossas Casas Espíritas, visto aos inúmeros fatores como nos explicam os Mentores Espirituais Dr. Romano, Pai Benedito de Aruanda, e Vó Benedita de Aruanda.

 Através dos médiuns Luis Carlos Okabayashi e Priscilla Shimabuku, que receberam essa orientação na mesma noite em desdobramento espiritual, sem mesmo terem cogitado essa ideia anteriormente.




Explicam os mentores espirituais que a união ocorreu antes no plano espiritual, dando-nos o exemplo de que isso é possível.

Dr. Romano nos recorda de uma trajetória até aqui dentro do Movimento Espírita, onde colhemos os dissabores de muitos erros cometidos, muita vaidade e orgulho por parte dos então chamados "trabalhadores".

As forças antagônicas ao trabalho Cristão, teriam se aproveitado disso para retardar a obra.

O plano espiritual reúne-se em união de esforços de vários grupos fraternais estrategicamente elaborados, nos propondo então primeiramente a reflexão interior quanto ao nosso mediunato.

Se verdadeiramente estamos servindo aos propósitos de Deus, ou aos nossos interesses.
Deveremos nesse período de reforma no canteiro das obras do TEMPLO, fazer nova triagem dos trabalhadores, orientando e ajudando-os como nos for possível a prosseguir nas tarefas, se assim o desejarem.

O grupo único passará a se reunir para as tarefas dentro do mediunato, a luz trazida pelo ESPIRITISMO através dos espíritos.

O consolador de almas trazido pelos abnegáveis trabalhadores de Jesus que ensinaram com humildade e simplicidade, sem distinção de raça, credo religioso ou filosofia de vida.

Atendendo pura e simplesmente as rogativas do Mestre. " Amai-vos uns aos outros".

Nenhum comentário:

Postar um comentário